quinta-feira, 23 de maio de 2019

Elenco do Pelotas na fase seletiva do Campeonato Brasileiro Série C de 1999

PELOTAS
NOME COMPLETO                       APELIDO            POS  J GM GC GS CA CV 
Cristiano Silveira Lopes            Alegrete           MC   4  0  0  0  0  0
Ânderson Torquato                   Ânderson           AT   4  0  0  0  2  0
Marcos Roberto Maciel Xavier        Dido               MC   4  0  0  0  3  0
Fernando Donizete Honório           Donizete           AT   4  1  0  0  1  0
Fabiano da Rosa Christ              Fabiano            MC   4  0  0  0  2  0
Jairo Luís Peiter                   Jairo Peiter       MC   4  0  0  0  1  0
Júnior da Luz Nouals                Júnior             LE   4  0  0  0  2  0
Rafael Dal Ri                       Rafael             GL   4  0  0  5  2  0
José Clei Santos dos Santos         Zé Clei            AT   4  0  0  0  3  0
Luciano Xavier Cunha                Assis              AT   3  0  0  0  0  0
Jair Élton Paz Gomes                Jair Gomes         QZ   3  1  0  0  0  0
Israel Neutzling Betemps            Mita               ZC   3  0  0  0  1  0
Daniel Soares Bitencourt            Daniel Bitencourt  MC   2  0  0  0  1  0
Edison de Mattos Maciel             Edinho             LE   2  0  0  0  0  0
Roger Schramm Bauer                 Roger              ZC   2  0  0  0  2  0
Velton Vilonei Vargas Saraiva       Velton             AT   2  0  0  0  0  0
Vôlnei Silveira Quintana            Vôlnei             MC   2  0  0  0  0  0
Leandro Espílma Lima                Leandro            AT   1  0  0  0  1  0




Fonte: Sumulas-Tchê

domingo, 24 de março de 2019

Homenagem a Celso Guimarães

Celso Guimarães, Ídolo Áureo-Cerúleo foi homenageado na Boca do Lobo

Mesmo antes de a bola rolar para o clássico Bra-Pel, na tarde do sábado (16), no Estádio da Boca do Lobo, o ex. atacante Celso Fernando Rocha Guimarães recebeu das mãos dos torcedores Fred Mendes, Felipe Netto e Guilherme Farias, a camisa retrô número 7 usada pelo veloz ponteiro na temporada de 1984, além de uma placa em agradecimento aos inúmeros serviços prestados ao Esporte Clube Pelotas.

Muito emocionado, Celso Guimarães agradeceu e relembrou os bons momentos que viveu com a Camisa Áureo-Cerúlea.

Em 1984 Celso foi um dos destaques da equipe comandada pelo técnico Galego (Foto: arquivo pessoal)

Celso Guimarães é reconhecidamente identificado com o Esporte Clube Pelotas. Após largar a “bola” como jogador profissional, chegou a ser técnico da equipe júnior. Foram quase 20 anos de Boca do Lobo, local onde chegou inclusive a morar no inicio de carreira.

Após deixar o futebol, Celso é presença certa e figura carimbada nos jogos do Pelotas, clube que carrega no coração.

Entrega da placa (Foto: Tales Leal)

Camisa de 1984 foi entregue a Celso Guimarães (Foto: Tales Leal)

Celso #7 (Foto: Tales Leal)


Títulos:

Com a camisa do Pelotas, Celso foi Campeão da Taça Nicolau Fico em 1977, Campeão Citadino em 1981 e Campeão Gaúcho Série A2 em 1983.

O Tabu de 10 anos:

Entre 1982 e 1992, o Pelotas ficou 10 anos sem perder o Clássico Bra-Pel. Nesse período, Celso foi figura importante para que o Pelotas se tornasse praticamente imbatível frente ao rival.

Timaço de 1984:

Foto do time que fez boa campanha no Campeonato Gaúcho de 1984

O time-base do Pelotas em 1984 contava com Juarez, João Carlos, Eduardo, Claudemir e Toninho Costa; Sérgio Perez, Paulo Ricardo e Ademir Alcântara; Celso Guimarães, Miguel Amaral e Jorge Luís. E o técnico Galego contou ainda com o goleiro Décio, o lateral Flávio, o volante Alamir, os meias Luís Fernando Rosa Flores, Tijuca e Rubinho e os atacantes Doia e Muller.

domingo, 27 de janeiro de 2019

Épico! Pelotas vence o Internacional no Beira-Rio


Jogando no Estádio Beira-Rio, Pelotas se impõe e consegue virada histórica.



Um confronto à altura de duas equipes centenárias. Épico, com traços de decisão para o Pelotas, em especial para o técnico Diego Gavilan. Nervosismo, gol contra, bolas na trave. Que jogo!

Era apenas a segunda rodada do Campeonato Gaúcho, e o Pelotas vindo de uma derrota dolorida em Rio Grande, buscava desesperadamente um resultado positivo. Do outro lado, o grande Internacional com força máxima, liderados pelo ídolo D’alessandro, buscava manter os 100% na competição. É, não seria nada fácil para o Lobo. 


O JOGO

O Inter iniciou a partida tentando se impor diante de um Pelotas que apenas se defendia no Beira-Rio. A primeira chance colorada veio aos 9 minutos. Após uma jogada ensaiada no escanteio, a bola sobrou para Nico López, que acertou um belo chute, mas parou na boa defesa de Airton. Quatro minutos depois, porém, Airton não pôde fazer nada. Pottker recebeu de Nico López, avançou e acertou a trave. A bola bateu em Adriano Lara e entrou no gol, 1 a 0 para o Inter no Beira-Rio.

Após o gol, o Pelotas soube reagir e se impor. Não se assustou com os 20 mil colorados presentes no Beira Rio. Atrás no placar, o Pelotas se soltou em busca do empate e até deu espaço para a equipe de Odair Hellmann, que não aproveitou.

O prêmio pelo esforço veio aos 30 minutos. Após um desvio na cobrança de falta, Marcelo Lomba conseguiu fazer a defesa no primeiro lance, mas a bola sobrou para Dão, que ganhou a disputa com Rodrigo Moledo e mandou para o gol vazio, 1 a 1. Somente depois do empate que o Inter voltou a pressionar em busca do segundo gol. Nico López criou a melhor chance em chute em curva que acertou a trave de Airton. Mas foi só.

Foto: Jeferson Guareze/AGIF


Se a situação não era boa para o Inter com o empate no primeiro tempo, ela ficou ainda pior no começo da etapa final. Aos 10 minutos, Germano bateu falta do lado área e o zagueiro Felipe Chaves desviou para virar o placar para o Pelotas, 2 a 1.

A virada do Pelotas deixou o clima mais tenso no Beira-Rio, inclusive  com a torcida começando a cobrar o time. Do outro lado, o torcedor do Pelotas, que lotou o especo destinado aos Áureo-Cerúleos no Beira-Rio, era só festa. A voz da fanática torcida ecoava em Porto Alegre. 

Foto: André Ávila / Agencia RBS


Com a bola rolando, aos 13 minutos. Moledo ganhou pelo alto em cruzamento de Bruno e cabeceou acertando a trave quando o goleiro Airton já estava batido. Na seqüência, Odair Hellmann fez a primeira mudança com Neilton no lugar de Patrick.

Neilton entrou com boa movimentação e deu logo duas boas finalizações. Na primeira, ele mandou por cima do gol após tabela com Nico López. Depois, Neílton pegou o rebote e chutou para boa defesa de Airton. Sem gol para comemorar, a torcida do Inter vibrou aos 25 minutos quando o ídolo Rafael Sobis foi chamado para reestrear. O atacante entrou no lugar do lateral Bruno tornando o time colorado ainda mais ofensivo.

Do lado Azul e Ouro, o técnico Diego Gavilan não se assustou e também reforçou o time com atacantes. Léo Bahia e Júlio Santa Cruz entraram e deram boa força ofensiva ao Lobão. 

No final da partida o Inter ainda teve uma última chance, aos 49 em chute forte de Nico López.  Airton foi bem no lance e fez uma grande defesa para garantir a vitória do Pelotas e decretar a derrota do Inter no primeiro jogo dos titulares em 2019.

Foto: Tales Leal - A.I do ECP



FICHA TÉCNICA

Gauchão 2019 – 2ª rodada

Internacional – 1
Marcelo Lomba; Bruno (Rafael Sobis), Rodrigo Moledo, Victor Cuesta e Iago; Rodrigo Dourado, Edenílson, D'Alessandro, Nico López e Patrick (Neílton); William Pottker (Guilherme Parede). Técnico: Odair Hellmann

Pelotas - 2
Airton; Adriano Lara, Dão, Felipe Chaves, Aquilino Gimenéz; Reinaldo Silva, Germano, Léo Costa (Léo Bahia), Jarro (Luís Felipe), Reinaldo Dutra; Giovane Gomez (Santa Cruz). Técnico: Diego Gavilán

Gols: Adriano Lara - contra (14min/1T); Dão (30min/1T), Giovane Gomez (10min/2T)
Cartões amarelos: Pottker, Moledo (INT); Airton, Giovane Gomez, Adriano Lara (PEL)
Árbitro: Lucas Guimarães Horn
Local: Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre (RS)


PRÓXIMA RODADA

A vitória levou o Pelotas aos 3 pontos na classificação do campeonato. O Inter, por sua vez, continuou com os mesmos 3 pontos, ambos na quarta colocação. Pelotas e Inter voltam a campo pelo estadual no próximo domingo. O Áureo-Cerúleo encara a São Luiz, às 18h, na Boca do Lobo e o Colorado visita o São José, no estádio Passo D’areia.


LANCES E GOLS DA PARTIDA


Imagens SporTV - Premiere



Imagens SporTV - Narração Rádio Gaúcha




Matéria do Globo Esporte RS



Matéria da TV Bandeirantes

sexta-feira, 21 de dezembro de 2018

Boca do Lobo recebeu o jogo de craques, entre Daniel Carvalho e Taison

‘Futebol Solidário’ arrecada mais de 5 toneladas de alimentos.

Milhares de pelotenses marcaram presença no jogo entre amigos do Taison e Daniel Carvalho, na Boca do Lobo



No placar oficial do jogo, o time formado pelos amigos de Taison venceu a equipe liderada por Daniel Carvalho pelo placar de 3 a 2; na realidade, milhares de famílias do município foram as verdadeiras ganhadoras da partida. 

Na noite desta sexta-feira (21), o ‘Futebol Solidário’, entre amigos dos dois craques pelotenses levou um significativo público às arquibancadas do estádio do Esporte Clube Pelotas – cerca de 3 mil torcedores, de acordo com a organização do evento.



Quem prestigiou a competição colaborou para uma rede de solidariedade, já que os ingressos foram trocados por alimentos não-perecíveis – destinados às famílias de baixa renda. O resultado foi o montante de 5 toneladas e 200 quilos arrecadados – a doação fará o fim de ano de milhares de pessoas mais feliz.

Taison e Daniel Carvalho – jogadores que iniciaram suas carreiras no esporte em Pelotas – demonstraram-se realizados por voltar à cidade natal para promover um evento voltado a quem mais precisa. 

“Poder ajudar ao próximo e contribuir para a vida de tantas famílias é algo que nos deixa muito felizes”, disse Taison, jogador do Shakhtar Donetsk. 

Na entrada do campo da Boca do Lobo, acompanharam os jogadores dezenas de crianças das escolas do município. 

“Sabemos o quanto é importante ajudar e o quanto estes jovens se espelham em nós”, comentou Daniel Carvalho, jogador do Esporte Clube Pelotas. Ele reforçou o desejo de ver a partida solidária ocorrer mais vezes, salientando que o jogo desta sexta servirá como referência para a organização de futuros eventos.

O jogo, que foi apitado pelo árbitro Jean Pierre Lima e teve gols dos dois craques pelotenses, contou com outros nomes conhecidos da torcida, como Alan Ruschel, ex. Pelotas e atualmente na Chapecoense, Tinga, ex-jogador do Internacional, Gabriel Robe (piloto de Stock Car), e Lambari, ex-jogador da dupla Bra-Pel e do Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense.

Os times de Pelotas também se uniram na realização do evento, que contou com patrocínio do Esporte Clube Pelotas, Progresso Futebol Clube, Grêmio Esportivo Brasil, DC Fitness, Viguine Veículos, Óticas Diniz, Go Travel, Bagé Imóveis, Gelei e Ualt Construções e Prestação de Serviços.



Por Luiza Meirelles
Fotos: Gustavo Vara

quinta-feira, 15 de novembro de 2018

Quando o Pelotas foi a base da Seleção Gaúcha que venceu o Fluminense nas Laranjeiras

Em 1930, durante a campanha que levaria o Pelotas ao título estadual daquela temporada, quando o Lobão viria a superar o Grêmio na final, o Rio Grande do Sul foi convidado pelo Fluminense para uma partida amistosa, que seria realizada no Estádio das Laranjeiras, no dia 13 de novembro de 1930. 

Como não poderia ser diferente, com o destaque do Pelotas no Campeonato Estadual, o clube acabou formando a base do Combinado Gaúcho que foi ao Rio de Janeiro. Dos jogadores que entraram em campo naquele confronto, 7 pertenciam ao Esporte Clube Pelotas. Eram eles: Bordini, Tavalera, Martial, Mário Reis, Benjamin, Chico e João Pedro. 


A iniciativa dos cariocas, cuja a renda da partida foi destinada ao governo federal, para auxiliar no pagamento da divida externa do Brasil, recebeu elevado destaque da imprensa brasileira.
Com a bola rolando, os Gaúchos, representando as Forças Revolucionarias do Rio Grande do Sul, foram superiores ao longo da partida, e com gols de Chico e Venenoso, garantiram a vitória gaúcha sobre o Fluminense por 2 a 1. 

A base do time Áureo-Cerúleo fez bonito, para felicidade do Presidente Gaúcho Getúlio Vargas.


Confira a matéria completa do Jornal Diário de Notícias (RJ) sobre a partida :



Ficha Técnica:
Fluminense 1x2 Seleção Gaúcha
Data: 13 de Novembro de 1930 - Quinta Feira
Local: Estádio das Laranjeiras, Rio de Janeiro
Fluminense: Batalha, Albino, Delson, Cabral, Fernando, Alemão, Ripper, Ary, Loló, Preguinho e De Mori (depois Sálvyo).
Seleção Gaúcha: Bordini (Pelotas), Tavalera (Pelotas), Sardinha (Grêmio), Napoleão, Martial (Pelotas), João da Cruz (Brasil), Fagundes (depois Mário Reis (Pelotas) ), Venenoso (Ideal), Benjamin (Pelotas), Chico (Pelotas) e João Pedro (Pelotas).
Gols: Chico e Venenoso (SG) e Preguinho (F)
Arbitro: Otto Bandusch.


Fontes: Jornal Diário de Notícias (RJ) e Jornal Diário da Noite (RJ).

segunda-feira, 2 de julho de 2018

Campeões da Lupi Martins vencem jogo festivo, pelos dez anos do título

Com um jogo festivo reunindo os jogadores do time campeão de 2008, o Pelotas comemorou neste sábado (30), na Boca do Lobo, os dez anos do título da Copa Lupi Martins. O adversário foi uma equipe formada por ex atletas do clube e o resultado foi o que menos importou.  



Se teve ausências importantes como as de Rudi, Cleber, João Carlos, Escobar, Xaro, Anderson Ijuí, Anderson Ataíde, Rafael Lopes e Edimario, a partida tratou de firmar o encontro dos Campeões. No mesmo palco que sagrou o Pelotas campeão da Copa Lupi Martins, ao superar o Caxias na semi final e o Cerâmica na grande decisão, os campeões Roger Kath, Bruno Hepp, Cleiton, Mateus, Tiago Rocha, Mauricio Búfalo, Rodrigo Brum, Rafael Locatelli, Luis Paulo, Michel, Leonel, Sandro Sotilli, Tiago Duarte e Zeca Ferreira, novamente marcaram presença no gramado da Boca do Lobo. 

Do outro lado, um time recheado de feras que vestiram a camisa do Pelotas, como Alexandre Xuxu, Fabio Petroline, Humberto, Mauro, Márcio Silveira, Alexandre Boiota, Chupeta, Matarazo, Carlão, Jeferson, Tarciso, Renatinho, Diego, Felipe Pinto, Fabiano e Eduardo Pereira, reforçados com a presença de Giovane Gomez, artilheiro do Campeonato Gaúcho Série A2 desse ano, e dirigidos por Chamega e Celso Guimarães, abrilhantaram ainda mais a festa.

Os campeões de 2008 venceram por 3 a 1, com dois gols de Sandro Sotilli (8 e 16 do 1º tempo) e um de Tiago Duarte (17 do 2º tempo). Para a seleção de craques descontou Diego (11' do 2º tempo). Além da festa e das memórias da conquista, o evento terminou em clima de festa com o churrasco popular organizado pelo Movimento Lobo Forte, que reuniu e uniu torcida e atletas em uma tarde inesquecível. 

Confira as fotos do evento! 


Os campeões da Lupi Martins - Em pé: Roger, Sotilli, Roger, Mateus, Leonel, Rodrigo, Bruno e Zeca. Agachados: Tiago Duarte, Locatelli, Mauricio, Cleiton, Luis Paulo, Michel, Tiago Rocha e os convidados, Michaele Mauricio Souza, filhos do atacante Michel.  

O selecionado de ex craques - Em pé: Alexandre Xuxu, Fabio Petroline, Humberto, Chamega, Celso Guimarães, Mauro, Marcio Silveira, Alexandre Boiota, Renatinho, Chupeta e Giovane Gomez. Agachados: Matarazo, Carlão, Jeferson, Diego, Tarciso, Felipe Pinto e Eduardo Pereira. 





















segunda-feira, 11 de junho de 2018

Eu, o Levi e o Pelotas

Falar de futebol é fácil mas falar de sentimento é sempre um grande desafio pra mim, e motivado por um misto desses sentimentos resolvi deixar registrado esse momento especial.

Hoje foi mais um dia de Boca do Lobo, de torcer e vibrar pelo meu mais antigo amor, algo que já faço desde que me conheço por gente. Só que de abril de 2015 pra cá, esse ritual mudou e nunca mais foi o mesmo. Fortalecido e acompanhado do meu maior amor, meu filho Levi, fomos apoiar o nosso Pelotas nessa importante batalha.


Pra mim a Boca do Lobo sempre foi muito mais do que um simples estádio, é um santuário, e tenho certeza que pro Levi também é, mesmo que ele ainda nem entenda exatamente disso.

E assim como em 31 de maio de 2015, data da primeira partida em que meu filho se fez presente em um jogo do Pelotas, contra o mesmo adversário desta tarde, as emoções foram fortes, e vencemos novamente.

Num domingo chuvoso, chegamos a Boca do Lobo revendo velhos e nem tão velhos amigos. Fila quilométrica, olhares, perguntas e muitas conversas. Aos poucos fomos nos acomodando em meio a multidão e nos envolvendo naquele clima mágico que só um jogo do Pelotas nos proporciona, é incrível.

Antes de entrar no estádio, compramos um desses cavalinhos do fantástico, batizamos de Hugo Sanches devido ao numero da camisa, a mesma do nosso camisa 10, deu sorte. Após quase uma hora na fila, entramos no estádio com 25 minutos de jogo. O Levi encantado só me encantava, que orgulho do nosso Lobo meu filho, como é bom dividirmos esses momentos. A mamãe Luísa lá estava, parceira como sempre e incansável com nosso pequeno. Já diz o ditado: Família unida, torce unida. E levamos a risca esse ditado.

E com a bola rolando, em uma Boca do Lobo completamente lotada, o Levi encantado nem piscava. Respirava fundo a cada lance e os olhinhos brilhavam ao olhar aquela massa azul e amarela. Ali eu tive a certeza absoluta que essa paixão não era mais só minha, era nossa. O Lobo é assim mesmo, contagia.

E na seqüência do jogo o Levi não poupava nas perguntas e comentários: 
“Porque o sapato do nosso goleiro é assim?” - “como fizeram isso?” se referindo ao estádio - “esses de vermelhos são ruins” - "Olha lá o Lobo, esse é o nosso time pai" - “nossa torcida é muito grande” - Meu coração transbordava ao ver toda empolgação dele.

Um jogo do Pelotas não é só um simples jogo de futebol, é muito mais, é sentimento puro.

Esporte Clube Pelotas, Boca do Lobo, Áureo-Cerúleos, casa cheia, festa, respeito, orgulho, parceria. Que loucura é viver isso de perto. Melhor ainda é viver isso ao lado do meu filho.

Esse era o jogo que poderia devolver o Pelotas para o seu devido lugar. Não poderíamos perder essa oportunidade. Quantos Levis tínhamos dentro da Boca do Lobo hoje? sim, os pequenos Áureo-Cerúleos precisavam desse retorno. Todos nós merecíamos esse retorno.
E assim foi, vencemos, superamos, conquistamos, festejamos. Retornamos para nosso lugar de origem, o Pelotas sempre foi de primeira! 

Desconfio que nem se o adversário fosse o Real Madri o resultado de hoje seria diferente. Hoje era o nosso dia e nada poderia mudar isso, já estava escrito!




VOLTAMOS!!!